Higiene oral nas crianças

15-11-2013

Uma higiene oral correta influencia, de forma positiva, toda a nossa saúde. Ensine e estimule o seu filho a cuidar dos dentes, transmitindo-lhe a importância de lavar sempre os dentes a seguir a uma refeição e de investir numa higiene oral cuidada.

A importância de uma boca saudável

Uns lábios cuidados, dentição completa, gengiva, ossos sãos e uma oclusão equilibrada permitem uma boa estética e boas funções de fonação, mastigação e mímica facial. Crianças com dentes sãos mastigam bem os alimentos, aprendem a falar claramente e sentem-se bem com elas próprias e com os outros.

Doenças bacterianas


A cárie dentária e a doença periodontal são as doenças bacterianas mais frequentes na cavidade oral. A primeira consiste numa destruição progressiva da estrutura dentária. Uma má remoção da placa bacteriana (camada branca que contém bactérias e é fortemente aderente às superfícies dentárias) é a principal causa da lesão de cárie. A doença periodontal é caracterizada pela destruição dos tecidos que ligam o dente ao osso.

A cárie dentária, quando associada à dor, interfere com a nutrição e com o comportamento, podendo causar ansiedade e insónias. A cárie de mamadeira é devastadora, destruindo várias faces dos dentes. Resulta da oferta de líquido doces nas chupetas e biberons, sobretudo se for ao adormecer, porque durante o sono há uma diminuição do fluxo salivar, a língua não se move tanto e os açúcares líquidos ficam em contacto com os dentes durante um maior período de tempo.

É importante que o tratamento da lesão de cárie aconteça o mais precocemente possível, pois quanto mais inicial for a lesão mais simples vai ser a sua abordagem e mais facilmente haverá a colaboração da criança.


Visitas ao médico dentista


A primeira consulta ao profissional de saúde oral deve ser até aos 12 meses. Até esta idade as orientações poderão ser dadas por outros profissionais de saúde.  As consultas de rotina têm intervalos de tempo consoante a idade e estado clínico da criança e devem ser estabelecidas pelo profissional de saúde.





Como fazer uma higiene oral correta:

Dos 0 aos 2 anos
- Quando a criança ainda não tem dentes, apenas necessita que se higienize e massaje a gengiva com uma gaze húmida ou similar;
- A partir do aparecimento do primeiro dente, deve introduzir- se a escova, de tamanho adequado e macia. Nesta fase começa a utilizar-se uma pasta fluoretada (com baixa concentração de flúor) e aplica-se só uma camada muito fina na escova.

Dos 2 aos 6 anos
- A criança ainda não consegue fazer corretamente a sua higiene oral, no entanto, deve começar a escovar os seus dentes, embora esta escovagem seja, geralmente, apenas uma brincadeira. Cabe aos responsáveis pela criança fazer a “verdadeira” higiene oral; 
- O fio/fita dentária deve ser introduzido à medida que os espaços interdentários vão fechando; 
- A escova elétrica está indicada como estímulo para as crianças saudáveis ou como uma ajuda na criança cuja destreza manual esteja reduzida; 

- A posição de starkey, em que a criança está em frente ao espelho com o adulto a fazer a escovagem, é uma boa posição para a aprendizagem;
- Por volta dos 6 anos erupciona o primeiro molar definitivo. Como esta é uma zona de difícil higienização, a criança deve ser motivada para a escovagem deste dente com maior cuidado.


Maiores de 6 anos
- A criança já tem destreza para a sua própria higiene oral. Uma abordagem sistemática e rotineira da escovagem torna a aprendizagem mais fácil;
- O tempo médio de escovagem deve ser de 3 minutos;
- A escovagem deve ser feita após as refeições e quando não for possível deve fazer bochechos mesmo só com água. A escovagem à noite é a mais importante. 


Saiba mais...



Os pais podem adquirir um produto denominado agente revelador de placa bacteriana, um bom orientador para a criança perceber se está a fazer uma higiene oral correta.

Após a escovagem, a criança bochecha com o revelador e um pigmento aparece nos locais onde a placa bacteriana não foi bem removida.

Sete hábitos nocivos para os dentes das crianças
1. Roer as unhas;
2. Sucção do polegar e/outros dedos;
3. Sucção da mucosa jugal (bochechas);
4. Interposição/sucção da língua e/ou lábios;
5. Uso da chupeta (deve ser abolido até aos 3 anos);
6. Respiração bucal;
7. Ranger os dentes (o bruxismo provoca desgaste nas faces dos dentes).